Terça, 18 de Janeiro de 2022
24°

Alguma nebulosidade

Taboão da Serra - SP

Cidades Litoral de SP

Lockdown é decretado nas cidades da Baixada Santista com multas para quem descumprir

Quem descumprir as regras do lockdown estará sujeito a multas que variam de R$ 300 a R$ 10 mil

19/03/2021 às 22h55 Atualizada em 19/03/2021 às 23h44
Por: Por Charles Eliseu, para o Jornal SP Repórter Fonte: Charles Eliseu, jornalista
Compartilhe:
Foto: Anderson Bianchi/PMS
Foto: Anderson Bianchi/PMS

As nove cidades que compõem a região da Baixada Santista estabeleceram o lockdown a partir da próxima terça-feira (23). A medida fica vigente, aos menos, até o dia 4 de abril.

A implantação da medida foi aprovada pelo Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb) nesta sexta-feira (19) e uma força-tarefa com a Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal vai fiscalizar a circulação de pessoas e veículos.

Apenas será permitida a circulação de pessoas e veículos para a compra de remédios, atendimento ou socorro médico de pessoas ou animais, embarque e desembarque em terminal rodoviário, atendimento de urgências e necessidades inadiáveis, bem como a prestação de serviços permitida em decreto municipal.

O lockdown foi anunciado pelo presidente do conselho e prefeito de Santos, Rogério Santos, que explicou a necessidade do ato. "São medidas duras mas que, infelizmente, temos que tomar agora para preservar vidas. Os especialistas em Saúde nos passaram um quadro assustador no encontro realizado quinta-feira".

Luiz Maurício, prefeito de Peuíbe, utilizou sua conta no Facebook também para justificar a medida. "Infelizmente tivemos que tomar essas medidas, o momento é muito crítico. Estamos vendo pessoas morrerem por falta de leitos. Se a população não entender que precisa fazer a sua parte, teremos uma situação ainda pior em Peruíbe", falou.

As nove cidades que fazem parte da região da Baixada Santista são Santos, São Vicente, Praia Grande, Guarujá, Cubatão, Bertioga, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe, no litoral sul de São Paulo. 

Veja como será o lockdown nas cidades:

A circulação de pessoas e carros será permitida com a apresentação de documentos como nota fiscal de compra ou prescrição médica de remédio, atestado de comparecimento a uma unidade de Saúde, carteira de trabalho (ou holerite) ou documento que comprove a prestação de serviço autorizado no decreto, tíquete ou imagem da passagem de ônibus ou ainda comprovação de urgência ou necessidade inadiável por qualquer meio.

As principais restrições incluem o transporte público municipal, que funcionará com horário reduzido pela manhã e ao final do dia.  Os ônibus não circularão aos sábados, domingos e feriados. Ficou acertado que cada cidade irá definir os horários de circulação.

Durante este período estão proibidas as feiras livres. Hotéis, pousadas, pensões, motéis e outros estabelecimentos de hospedagem só atenderão clientes corporativos, com todas as áreas de lazer e recreação fechadas. Também estão suspensos os serviços de drive thru.

Será permitido apenas o autoatendimento, sem serviços internos (com exceção dos relacionados à segurança e manutenção). As filas nos caixas devem ser espaçadas com distância de 3 metros.

Os supermercados poderão funcionar com capacidade de até 70% dos produtos essenciais (alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal) até as 20h. Aos sábados e domingos, poderão funcionar apenas com delivery. A mesma regra se aplica às padarias, açougues e mercearias.

Comércios, com atividade de entrega em domicílio (delivery), podem trabalhar com porta fechada e apenas com 30% dos funcionários até as 22h.

Poderão funcionar por 24 horas estabelecimentos como farmácias, postos de combustível (com lojas de conveniência fechadas), serviços de transporte de mercadorias, comércio de insumos médico-hospitalares, delivery de medicamentos e serviço de transporte individual (táxi e veículos de aplicativo). 

Também estão nesta lista atividades de segurança privada e de portaria, atacado e varejista de hortifrúti, atividades portuárias e retroportuárias (serviços administrativos terão de ser feitos por home office) e as atividades industriais cuja paralisação possa afetar o abastecimento e os serviços essenciais.

Mercado de peixe só poderá funcionar por delivery.

Quem descumprir as regras do lockdown estará sujeito a multas que variam de R$ 300 a R$ 10 mil. A fiscalização ficará por conta da Polícia Militar, Guarda Municipal, Procon e Secretaria Municipal de Finanças (Sefin).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias